O que a crise do COVID-19 nos mostra sobre o mercado de trabalho?

Entenda sobre as movimentações e encontre a oportunidade que faz sentido para você!

Estamos vivendo um momento único na história, e é natural que não se queira fazer movimentações: ficar aqui, reduzindo danos e esperando uma clareza maior dos próximos passos parece a opção mais segura.

Entendemos que o instinto de proteção tem que ser muito escutado – mas também sabemos que se movimentar, quando feito de maneira pensada, pode te levar muito mais longe do que iria em tempos estáveis.

Essa iniciativa não tem o objetivo de te levar ao risco - queremos compartilhar um lado da moeda que, ao nosso olhar, impulsiona a fazer ainda mais pelo nosso país quando mais precisa.

Por que mudar?

A crise do coronavírus acelerou a transição para um futuro digital, incluindo o trabalho remoto para funcionários e mais produtos, serviços e outras interações online para os clientes.

Melhorias incrementais não serão suficientes. As empresas precisam pular anos em meses para fornecer experiências digitais fáceis, intuitivas e confiáveis.

Segundo a Bain & Company, as empresas tendem a desenvolver um plano com quatro características para acompanhar as mudanças:

  1. Sobressair-se nas principais interações com os clientes;
  2. Aguçar a proposta de valor;
  3. Ter um produto com venda mais intuitiva e configurações fáceis e convenientes;
  4. Rever custos ruins.

A dinâmica das empresas definitivamente mudou, e com isso também surgiram novas oportunidades: todos precisam colocar a mão na massa e crescer para reinventar a forma de trabalhar, de produzir e de entregar para o seu cliente (que também mudou).

“Estamos começando a ver evidências precoces da reação ao coronavírus no Glassdoor. Novos empregos estão sendo anunciados em agências de saúde, empresas e organizações internacionais que se preparam para responder ao surto”, comenta Daniel Zhao, economista sênior do Glassdoor.

Essas oportunidades se apresentam como:

Novas frentes de trabalho, onde você pode transitar para uma área pioneira e não só desenvolver o campo, mas também ter a chance de estar entre os novos unicórnios* (profissionais raros e muito desejados) do mercado.

As empresas precisam se reintroduzir para os seus clientes e o mercado, abrindo espaço para a mudança de produto ou abertura de novas áreas de negócio, puxando o seu time para a construção e liderança desse reposicionamento.

O trabalho remoto veio para ficar, e nos apresenta a possibilidade de estar em qualquer lugar e reconfigurar a nossa relação com o trabalho - fronteiras não são mais um impeditivo para estar na empresa que mais nos identificamos.

Para onde ir?

Como os mais velhos nos dizem, é na dificuldade que conhecemos as faces.

Nesse momento, olhar para as atitudes das organizações frente aos seus funcionários e ao mercado nos dá uma clareza do seu propósito e dos valores que a sustentam: e esse é o primeiro passo.

Aproveite que estamos conhecendo o verdadeiro lado do mercado e escolha estar junto de quem você acredita e compartilha dos mesmos princípios.

O segundo passo é entender para onde caminha o mercado e como isso se relaciona com o desafio que quer enfrentar no seu momento de carreira.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê que a crise do coronavírus cause uma recessão global em 2020, mas a organização acredita que a economia vai se recuperar rapidamente, já com resultados positivos em 2021.

De acordo com a Bain & Company, com a pandemia, o comportamento do consumidor mudou e cada setor econômico enfrentará um desafio diferente para se manter e conseguir crescer durante e após a pandemia.

Demanda explodiu na crise e deve se manter em alta no longo prazo

  • Ensino a distância
  • Entretenimento online
  • Ferramentas para trabalho remoto
  • Nutrição e saúde
  • Telemedicina
  • Plano de Saúde e Seguro de Vida

Com o crescimento acelerado, vem o desafio de escalabilidade, ou seja, crescer o negócio sem aumentar custos, além de precisar entender como isso pode estar disponível para todos sem que as pessoas precisem ir até o produto.

Demanda explodiu na crise, mas deve se estabilizar no longo prazo

  • Alimentação
  • Internet banda larga e telefonia
  • Produtos de limpeza
  • Produtos que ajudam a prevenir a epidemia (álcool em gel, máscaras)

Esse setor precisa garantir um atendimento rápido de um grande público, gerir a cadeia de suprimentos de maneira eficiente e pensar em alternativas de fidelização para não prejudicar o negócio que cresceu durante a crise.

Demanda tem forte queda na crise, mas pode ter "pico" em seguida

  • Eletrodomésticos
  • Produtos de Beleza
  • Roupas, sapatos e acessórios
  • Serviços de beleza (cabeleireiro)

Superar a queda tem uma ligação forte com um entendimento mais profundo das necessidades do seu cliente nesse momento, onde é preciso fazer uma modificação no seu produto para o momento, mas não uma transição completa porque continuará se fazendo necessário em um curto espaço de tempo.

Demanda tem forte queda na crise, com recuperação lenta

  • Academias de ginástica
  • Cinema e Teatro
  • Eventos
  • Hóteis
  • Restaurantes
  • Viagens e Turismo

Aqui, o desafio é se reinventar: como encontrar um novo market fit para o que já oferece ou pensar em novas maneiras de entregar para os seus clientes (as lives bem produzidas dos artistas são um grande exemplo disso).

Analisar o mercado e entender em qual desafio você pode mais se destacar precisa estar alinhado com o posicionamento da empresa: como entender se, nesta vaga, você terá a sua segurança garantida, espaço para construir ativamente esses projetos e crescer junto com o negócio?

A plataforma Glassdoor e o Manifesto #naodemita tem atualizado constantemente as práticas adotadas pelas organizações nesse período.

Muitas empresas também tem postado o que estão fazendo no Linkedin, como a Livup, QuintoAndar e Cora.

Assim você consegue ter uma clareza maior sobre os princípios que tem servido como guia, e se isso tem alinhamento com você e com o que precisa nesse momento.

Olhando para sua carreira, escolha qual o próximo passo que quer dar agora:

  • Liderar uma mudança de produto?
  • Participar da construção de algo do zero?
  • Testar um novo mercado ou escalar uma solução?

Faça dos recrutadores os seus melhores amigos e explore todas as informações que eles podem te dar.

O papel deles, nesse momento, é dar a você todo o suporte para tomar a decisão certa.

Fale com os recrutadores da Intera ›

Descubra o que as empresas estão fazendo

Conheça as ações de 9 empresas para seus funcionários durante a pandemia de Covid-19

Como empresas e profissionais estão reagindo ao coronavírus

'Precisamos entender que fazemos parte de um grande ecossistema', diz empresário por trás do 'Não Demita!'

A maneira de selecionar e contratar também está sendo reinventada, com a grande maioria dos processos acontecendo 100% online, o trabalho remoto sendo adotado e todos os recursos sendo enviados para os novos contratados!

Conecte-se com quem está contratando na crise:

Rolar para cima