ALA 3

Tendências

Parte 1

Tendências Tecnológicas

Em um ranking enviado com exclusividade à EXAME, a consultoria de gestão global Bain & Company evidenciou 10 tendências tecnológicas que devem dominar o ano de 2021.

Limite da Inteligência Artificial

Considerada a próxima onda de inteligência artificial, a Edge AI, é uma infraestrutura de rede que possibilita que algoritmos de inteligência artificial sejam executados na extremidade de uma rede, ou seja, mais perto ou até mesmo nos dispositivos que coletam os dados. A aceleração do movimento aconteceu principalmente pelas mudanças repentinas no tráfego de rede que acompanharam os bloqueios da covid-19 e a necessidade de trabalhar em casa.
Aumento de 0
no investimentos dos bancos e seguradoras em IA até 2025
Plataformas mais simples de IA devem surgir, para permitir que os funcionários criem modelos rapidamente, compreendam e confiem em seus resultados com facilidade, além de tomar decisões com segurança.

Tecnologia 5G

É esperado que a rede móvel de quinta geração alcance uma produção econômica global de 13,2 trilhões de dólares e gere 22,3 milhões de empregos até 2035.
De acordo com a Bain & Company, com a mudança, é esperado que "um grande e rápido avanço na indústria 4.0 e na internet das coisas industrial" aconteça.
O 5G, até 100 vezes mais rápido que o 4G, oferece latência drasticamente reduzida, "o que torna possível reação em tempo real em diversas indústrias
A confiabilidade da conectividade garante uma conexão de rede estável e constante, a ponto de ser possível inaugurar uma era de comunicação entre máquinas."

Cybersegurança

A crise da covid-19, segundo a Interpol, criou uma oportunidade sem precedentes para os golpes na internet aumentarem. Segundo a Fortinet, empresa especializada em cibersegurança, 2020 registrou uma alta no número de ataques cibernéticos em todo o mundo.
+ 0 BILHÕES
de tentativas de ataques virtuais só no Brail

Otimização de Pessoal

88% dos varejistas globais
preferem trabalhar com força de trabalho extra do que correr o risco de ficar com falta de pessoal. Essa abordagem leva a altos custos de mão de obra e lucros menores.
O que pode resolver a situação são as tecnologias de gerenciamento de força de trabalho, aumentando substancialmente a agilidade e respondendo aos picos de atividade e absenteísmo dos funcionários o que, segundo a Bain, melhoraria o desempenho operacional e a lucratividade das empresas.

Dados de saúde

O mercado de big data na área da saúde deve alcançar quase 70 bilhões de dólares em 2025 – valor quase seis vezes mais alto que em 2016, quando era de 11,5 bilhões de dólares. o.
Impulsionada pela pandemia da covid-19, a rápida aceleração da coleta de dados de saúde oferece ao setor uma oportunidade sem precedentes de alavancar e implantar recursos digitais inovadores, como a IA, para melhorar o tratamento.

O Novo RH

A área de recursos humanos vem crescendo nos últimos anos e estimativas apontam que, em 2025, os millenials serão responsáveis por 3/4 da força de trabalho global.
Com a entrada de mais pessoas dessa geração no mercado de trabalho, as organizações precisarão trabalhar com um grupo cada vez mais digital, modernizando o recrutamento.
Usar a tecnologia para desenvolver um processo de contratação inovador pode melhorar o desempenho das equipes de RH e permitir a identificação mais rápida dos candidatos mais promissores, ao mesmo tempo que atende às expectativas de uma nova geração de talentos

Economia Circular

Ganha força a mudança de relações transacionais baseadas na venda de produtos para um modelo de produção e consumo que envolve compartilhamento, aluguel, reutilização e reciclagem de materiais e produtos existentes.

Parte 2

Segmentos que merecerem atenção
LogTech

Segunda a Associação Brasileira de Operadores Logísticos, existe no mercado brasileiro, dentro do segmento de logtechs, startups de entrega, gestão de frete, rastreio e tracking.

são + 0 Logtechs
em atuação no Brasil nas mais diversas áreas – da last mile ao setor de transporte pesado.
O estado de São Paulo tem mais de 50% do total de startups, em seguida vem Minas Gerais, Santa Catarina e Paraná.
No acumulado de 2020, a empresa teve um faturamento de R$ 394 mil. De lá para cá, a receita tem crescido em duplos dígitos a cada mês. De maio para junho de 2021, o avanço foi de 42%.
A previsão é de chegar no fim do ano com um faturamento acumulado de R$ 10 milhões, alta de 2.438% frente ao reportado no primeiro ano de vida da empresa (2019).
A startup equilibrium, fundada em 2018, cresceu 1900% em 2020 e recebeu seu primeiro aporte de R$ 1 milhão da Invisto.
Fabio Nunes, CTO da Equilibrium: “Nosso maior desafio é a mão de obra! Capital intelectual para área de tecnologia está muito escasso e com custo altíssimo e, sendo uma startup, competimos com empresas maiores”
Statup to Watch Transporte e Logística

14% das 100 STW 2021 são dessa categoria, segundo grupo mais representativo junto com as startup de Finanças, atrás apenas da categoria Tecnologia da Informação (17%)

PrivacyTech

Em 2012, cerca de 2,5 bilhões de gigabytes de dados globais foram gerados diariamente. Em 2025 esse número vai chegar a 463 bilhões de gigabytes por dia, graças a smartphones, carros autônomos, drones, 5G, e outras novas tecnologias.

Prejuízos

Segundo pesquisa da McAfee, somente em 2020, os prejuízos gerados por cibercriminosos somaram mais de US$ 1 trilhão.

Gastos

Já o estudo Cyber Security Insights mostra que até o fim de 2021, as empresas de todo o mundo devem investir US$ 6 trilhões na área.

Investimentos

OneTrust U$ 410 milhões

TrustArc U$ 70 milhões

BigID U$ 30 milhões

Privitar U$ 30 milhões

Esses investimentos devem ser direcionados para ações de proteção de dados dos usuários, visto que temos em vigência leis rígidas, como a Lei Geral de Proteção de Dados, no Brasil, e a General Data Protection Regulation, para empresas que comercializam em território europeu.

Rolar para cima